Header Ads

Juros do “cheque especial” e do “cartão de crédito” caem pelo 3º mês seguido

Os juros médios do cheque especial e do rotativo do cartão de crédito caíram pelo terceiro mês seguido em junho deste ano, informou o Banco Central nesta sexta-feira (27). Embora as duas linhas tenham diminuído, ambas continuam sendo as mais caras do mercado financeiro. 
No mês passado, a taxa de juros média do cheque especial, praticada pelos bancos, ficou em 304,9% ao ano. No caso do cartão de crédito, atingiu a marca de 291,9% ao ano.
Desde maio deste ano, o cartão de crédito está com taxas mais baratas do que as do cheque. Em maio, o cartão de crédito estava com juros médios de 303,6% ao ano, enquanto os do cheque eram de 311,9% ao ano.
Para ter uma ideia, um consumidor que contraia uma dívida de R$ 1.000 no cartão de crédito hoje vai precisar desembolsar R$ 3.919 para quitar a dívida daqui a um ano. Os mesmos R$ 1.000 se tornam R$ 4.049 quando a pessoa utiliza o cheque especial no mesmo tempo. Uma das alternativas mais baratas disponíveis no mercado financeiro é o crédito consignado. Em junho, a taxa de juros para esta linha ficou em 25% ao ano. A mesma dívida de R$ 1.000 contraída hoje se tornaria R$ 1.250 daqui a um ano. 
Em abril de 2017, começou a valer a nova regra que obriga os bancos a transferir, após um mês, a dívida do rotativo do cartão de crédito para o parcelado, a juros mais baixos. A intenção do governo com a nova regra era permitir que a taxa de juros para o rotativo do cartão de crédito recuasse, já que o risco de inadimplência, em tese, cai com a migração para o parcelado.
Fonte: Copyright © 2018 Estadão.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.