Header Ads

Morre no Reino Unido mulher piloto da II Guerra Mundial


Mary Ellis dirigiu 1.000 aeronaves durante conflito, incluindo o famoso Spitfire; depois, dirigiu o aeroporto de Sandown, na ilha de Wight. 
Mary Ellis, uma das últimas mulheres pilotos na Segunda Guerra Mundial, morreu aos 101 anos em sua casa da ilha de Wight, no Canal da Mancha, no Reino Unido, informou nesta quinta-feira (26) a emissora BBC. Ellis foi membro do serviço Auxiliar de Transporte Aéreo (ATA, na sigla em inglês), uma organização civil que se ocupava de transportar os aviões de combate das fábricas até as diferentes bases da Força Aérea Real (RAF) britânica.
O ATA, que operou entre 1940 e 1945, tinha 1.152 pilotos homens e 168 pilotos mulheres, entre elas Ellis, além de engenheiros e outros funcionários.  Ela dirigiu 1.000 aeronaves durante o conflito, incluindo o famoso Spitfire, caça dos aliados que operou em todos os anos da guerra. A piloto, cujo nome de solteira era Mary Wilkins, se uniu ao ATA em 1941, depois de escutar um anúncio justamente na BBC, relatou a emissora estatal. 
Em 1950, Ellis passou a dirigir o aeroporto de Sandown, na ilha de Wight, e em 1961 se casou com Sir Ellis, colega de ofício, com quem viveu perto dessas instalações aéreas até depois da morte dele, em 2009. Além de Ellis, outras quatro mulheres pilotos da Segunda Guerra ainda estão vivas para compartilhar suas histórias. Eleanor Wadsworth, que também vive no Reino Unido, a americana Nancy Stratford, Jaye Edwards, que vive no Canadá, e Ethel Elizabeth Sharpe, da Cornualha.
Fonte: veja.abril.com.br

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.