Header Ads

Celular é a 3ª maior causa das mortes de trânsito

O uso de aparelhos celulares é a terceira maior causa de acidentes de trânsito no Brasil, atrás somente de embriaguez ao volante e excesso de velocidade, segundo estudo recente da Associação Brasileira de Medicina do Tráfego. Ao todo, são cerca de 150 mortes por dia e quase 54 mil por ano. No Pará, a principal causa de acidentes no trânsito é a falta de atenção, que pode ter como um dos fatores determinantes o uso do celular. 

De janeiro a abril deste ano, 1.985 acidentes no Estado tiveram este motivo. Em 2017, foram 6.170 e em 2016 foram 5.979, segundo o Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran). Esses números colocam a falta de atenção em primeiro lugar no ranking das quatro maiores motivações de acidentes de trânsito no Pará. Outros motivos de acidentes do ranking também podem estar atrelados ao uso do celular, como perda de controle (com 695 até abril de 2018, 2.473 em 2017 e 3.600 em 2016), manobra irregular (com registro de 648 até abril de 2018, 2.007 em 2017 e 2.107 em 2016), e o motivo denominado como dados não informados (com 1.599 até abril de 2018, 5.589 em 2017 e 5.128 em 2016).  
De acordo com o coordenador de planejamento do Detran, Valter Aragão, o uso de celulares não aparece claramente como causador de acidente. “Posso dizer que o celular foi um fator em boa parcela das situações de acidentes, já que o Brasil é um dos países que fica mais tempo online nesse aparelho”, explicou. “Mas não temos como afirmar que isso foi determinante para o acidente. Geralmente, as pessoas não assumem que estavam usando o celular na hora da situação e relatam outras motivações para a distração”. 
Segundo uma pesquisa do Centro de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi Brasil), em média o condutor fica quase três segundos sem olhar para a via quando usa o celular. Parece pouco tempo, mas é suficiente para causar acidentes graves, pois os motoristas não percebem a mudança repentina dos semáforos, freada mais brusca do carro à frente ou até mesmo invadem a faixa ao lado. “Até menos de um segundo pode ser fatal. O correto é ter atenção total”, orientou Aragão.  
O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) prevê infração média com multa de R$ 130,16 e quatro pontos na carteira aos que falam no celular enquanto dirigem. Para aqueles que conduzem apenas com uma das mãos para manusear o celular, o valor é maior, R$ 293,47, contando como infração gravíssima, com sete pontos na carteira. “A fiscalização do uso do celular no trânsito é obrigação da União, do Estado e do município”, pontuou Valter. “O vídeomonitoramento, por exemplo, é uma tendência nacional. Já existe no Brasil. No Pará, ainda estamos estudando. Também tem o bloqueio do celular na hora em que se entra no carro, que está em discussão pelo mundo”.
Fonte; Portal ORM

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.