Header Ads

Flamengo acerta venda de Lucas Paquetá para o Milan da Itália

Ciao, Lucas Paquetá! A saudação que em italiano serve para "oi" e "adeus" cabe para Flamengo e Milan na noite desta terça-feira. O rubro-negro carioca acertou a negociação do camisa 11 para o milanês, e exames médicos serão realizados nesta semana para concretizar a transação. A informação foi dada pelo canal "Rafla Mengo", e confirmada pelo GloboEsporte.com.

Firme na decisão de contratar o jovem de 21 anos, o Milan atravessou as conversas bem adiantadas com o Paris Saint-Germain e venceu a disputa. A proposta de ambos é similar: cerca de 35 milhões de euros mais bônus por desempenho. Pesou a favor dos italianos a forma incisiva de condução das conversas e uma possibilidade maior de aproveitamento de Paquetá.
A transação foi conduzida pelo brasileiro Leonardo, apresentado em julho pelo fundo americano Elliot, que conduz o clube, como diretor esportivo. Desde o primeiro momento, o ex-lateral-esquerdo, revelado pelo próprio Flamengo, colocou Lucas Paquetá como alvo com a aprovação do treinador Gattuso.

Com o encaminhamento do acerto com o PSG, inclusive com o lobby de Neymar junto ao jogador, o Milan oficializou a proposta e seduziu os rubro-negros. Fontes ligadas a alta cúpula do Flamengo revelam que o CEO Bruno Spindel foi responsável por definir os detalhes finais da transação, pessoalmente em Milão.

O GloboEsporte.com não conseguiu contato com o empresário do jogador, Eduardo Uram. Em todas as tentativas no fim da noite de terça-feira e início da madrugada de quarta, o telefone caiu na caixa postal.
Venda abaixo da multa
Os valores envolvidos na transação em momento algum chegaram próximos dos 50 milhões de euros previstos como cláusula de rescisão contratual. Desde o início do assédio a Paquetá, era consenso entre as partes de que a quantia é utópica para um jogador acima dos 20 anos em análise do mercado internacional.

Destaque do Flamengo ao longo da temporada, Lucas Paquetá recebeu três sondagens mais fortes desde a janela de verão na Europa: Barcelona, PSG e, por último, Milan. Os catalães aguardaram o desenrolar do mercado para tomarem uma atitude mais firme, com os franceses as conversas avançavam, até que os italianos colocaram a proposta no papel e apresentaram um projeto de carreira.

A intenção é que Paquetá seja tratado como Kaká no início dos anos 2000, com todo suporte para evoluir futebolisticamente com a camisa rossonera. Além disso, entende-se que no Milan o meia-atacante terá mais oportunidade de ter sequência de atuações e adaptar-se ao futebol europeu com maior facilidade. Por tabela, com mais chances de ser figura constante na seleção brasileira. 
Lucas Paquetá estreou pelo profissional do Flamengo em março de 2016, após se destacar no título da Copa São Paulo daquele ano, mas demorou a ser firmar sob o comando de Zé Ricardo. A maré mudou com Reinaldo Rueda, que escalou o jovem como centroavante nas finais da Copa do Brasil e Sul-Americana do ano passado.

Em 2018, Lucas confirmou a evolução e se tornou o principal nome do Flamengo, sendo convocado por Tite para a lista de espera para Copa do Mundo da Rússia e, em seguida, para os amistosos contra Estados Unidos e El Salvador. O jovem soma 88 partidas e 17 gols com a camisa rubro-negra.

Como esperado pelo Flamengo e pelas partes envolvidas, Lucas Paquetá tem o futuro definido antes do fim de outubro. Resta agora a aprovação dos exames médicos, previstos ainda para esta semana, e dez jogos para que o camisa 11 troque as listras rubro-negras horizontais pelas rossoneras verticais.
Fonte: g1.globo.com

Um comentário:

Tecnologia do Blogger.