Header Ads

Paraquedista, guerreiro de selva e sambista de Marabá morre no Hospital Central do Exército Brasileiro

No final da tarde de ontem (10), foi sepultado o corpo do 3º Sargento do Exército Brasileiro Francisco Carlos de Souza, 58 anos, mas conhecido como “Carlão”. O militar da reserva descobriu, no mês de junho de 2018, em uma viagem a Santa Catarina, um câncer de próstata, em estado avançado. Ele iniciou o tratamento, porém a doença já havia atingido vários órgãos de seu corpo, provocando o óbito dele na madrugada de terça-feira (9). “Carioca da gema”, sempre sorridente e de bom humor, o Sgt Souza era frequentador assíduo das rodas de samba em Marabá, cidade onde viveu por mais de 10 anos, prestando serviço ao Exército Brasileiro.  
No ano de 1979, o Soldado Souza incorporou-se as fileiras do Exército, no quartel do 26º Batalhão de Infantaria Paraquedista, situado na cidade do Rio de Janeiro. De lá, ele foi transferido para Marabá, em1984, para o 52º Batalhão de Infantaria de Selva e, posteriormente, chegou, para formar a turma de militares pioneiros, da 23ª Companhia de Comunicações de Selva, onde permaneceu até o ano de 1996, quando retornou para sua cidade natal, para servir na 2ª Companhia de Comunicações Paraquedista, onde permaneceu até a sua aposentadoria por tempo de serviço. 
Na “era de ouro” do carnaval de Marabá, em parceria com os eternos amigos Sobreiro e Joviano, Carlão foi puxador de samba enredo, da Escola de Samba Folhas em Harmonia, nos anos de 1994 e 1995. Ele também cantou por vários anos em grupos de pagode de Marabá. O corpo de Francisco Carlos foi enterrado no Cemitério de Campo Grande, no Rio de Janeiro, sob muita comoção, acompanhado de vários amigos e familiares. Ele deixou esposa, duas filhas e 1 neto. Entre os inúmeros amigos presentes no cemitério, estavam o Sgt Gomes, Sgt Campos e Sgt Sobreiro, parceiros desde os tempos de caserna de Marabá.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.