Header Ads

Um dia após a fuga de 56 detentos, novo tiroteio é registrado no CRPP I de Santa Isabel

Nesta terça-feira (6), houve troca de tiros no Centro de Recuperação Penitenciário Pará I, no Complexo de Santa Izabel do Pará, na região metropolitana de Belém. O caso ocorreu um dia após a fuga de 56 detentos do local, ocorrida por volta de 4h30 da madrugada de segunda (5). O número de fugitivos foi divulgado pelo Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe).

Na nova tentativa de fuga desta terça (6), por volta de 1h, um policial de guarda em uma das guaritas percebeu uma movimentação suspeita na área de mata e efetuou disparos de advertência. Houve troca de tiros com um bando armado, mas ninguém foi encontrado.

De acordo com informações da Diretoria de Administração Penitenciária da Susipe, a fuga em massa ocorrida na segunda (5) contou com apoio externo de criminosos armados. Houve troca de tiros entre policiais do Batalhão Penitenciário Operacional e criminosos, após agentes prisionais de ronda perceberem uma movimentação suspeita no bloco carcerário e acionarem o alarme de segurança.

Dois presos foram encontrados mortos na área externa do presídio. Os corpos estão no IML de Castanhal e ainda aguardam reconhecimento. A segurança no Complexo Penitenciário de Santa Izabel foi reforçada com tropas da ROTAM e COE que estão realizando incursões na área de mata e rondas no entorno do Complexo.
Insegurança nas carceragens
Após os casos, ocorreram revistas simultâneas em centros de detenção de todo o Pará, segundo a Susipe. O objetivo é frustrar possíveis planos de fuga e apreender todo tipo de material proibido nas unidades prisionais como celulares, drogas e armas de fogo que estejam com os detentos.

Os Complexos Penitenciários de Marituba e Santa Izabel estão ocupados, desde a segunda-feira (5), por tropas do Comando de Missões Especiais (CME) da PM. Cerca de 200 homens participam da ação que tem caráter preventivo e busca evitar novas ocorrências envolvendo resgate de presos por criminosos armados, nos dois maiores complexos prisionais do Estado, que juntos reúnem 12 unidades prisionais e custodiam mais de 7,2 mil presos.

O foco principal são os Centros de Recuperação Penitenciário Pará I, II e III, Colônia Penal Agrícola de Santa Izabel e Presídio Estadual Metropolitano I. Todas essas unidades estão sendo monitoradas diretamente pelo Centro de Inteligência Integrada da Região Norte, criado recentemente em Belém, pelo Ministério da Justiça em parceria com o Governo do Estado.
Fonte: G1 Pará

Um comentário:

  1. Infelizmente o sistema penitenciário paraense não é levado a sério, alias, o brasileiro!!!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.