Header Ads

Carro-Forte: Um dos maiores assaltantes do Brasil morre em confronto com a polícia em Tucuruí

“Adriano Pânico” era um dos maiores assaltantes do Brasil
O assaltante, Adriano da Silva Brandão, foi morto em confronto com policiais da Companhia Independente de Operações Especiais (Cioe) em uma operação no município de Tucuruí, no sudeste do Pará, por volta de 17 horas, de terça-feira (4). Adriano Brandão era apontado como líder da quadrilha que roubou malotes de dinheiro da empresa Prosegur, transportadora de valores, na manhã de segunda-feira (3) em Tucuruí.
O assalto aconteceu nas instalações do aeroporto da cidade, por ocasião do pouso de uma aeronave. Durante a ação, o piloto ficou ferido e foi internado em estado grave em um hospital da cidade. De acordo com a Polícia Militar, “Adriano Pânico” ou “Adriano General”, no momento da prisão, portava uma arma de grosso calibre, um fuzil AK 47, e reagiu à prisão, disparando contra os policiais. Na troca de tiros, o bandido foi atingido e morreu. Ele comandava uma quadrilha que utilizava a modalidade conhecida como "vapor" para atacar carro-forte.
Tiroteio em Marabá
Adriano Pânico era chefe da quadrilha que foi surpreendida pela polícia no bairro Belo Horizonte, em Marabá, sudeste do Pará, em janeiro de 2018. Na refrega, o pernambucano Saulo Frederico Alves Freire, conhecido como "Pernambuco", foi morto no telhado de uma residência e Alexandro da Costa Souza, paraense de Marabá, foi preso, mas Adriano General conseguiu fugir do cerco policial.
Na época, os fugitivos invadiram uma casa vizinha, após escapar pelo muro dos fundos da residência, fizeram duas pessoas reféns e fugiram no carro da família. Houve perseguição policial pela cidade de Marabá. Durante a fuga, os bandidos liberaram os reféns e seguiram no carro roubado até as margens do rio Itacaiúnas, onde abandonaram o veículo e fizeram um barqueiro refém para atravessar o rio. Ele só veio a ser preso no dia 23 de maio de 2018. Antes, o meliante já havia passado 10 anos preso, condenado por assaltos a carros-fortes nos estados Pará, Maranhão e Tocantins. Desta vez, a polícia de Tucuruí pôs fim a vida dedicada ao crime de Adriano Brandão.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.